Soluções digitais e informação: o ouro do século 21 para ser usado com inteligência.

Considerado uma excentricidade antes da pandemia, os robôs aspiradores tiveram um boom de vendas, segundo a empresa de estudos de mercado GFK. Ele se locomove sozinho pelo ambiente, desviando de obstáculos e cumprindo sua função de aspirar, graças ao acúmulo de informações captadas por sensores acoplados ao aparelho. Ou seja: o que traz a revolução digital para o tapete da sua sala são os dados, os ativos mais valiosos do século 21.

É como um poço de petróleo jorrando abundantemente:  em 2017, o estudo “A Universe of Opportunities and Challenges”, desenvolvido pela consultoria EMC, apontava que, em 2020, o volume de dados alcançaria a marca anual dos 40 trilhões de Gigabytes. Em outras palavras: é muita informação.

Mas, para cumprir o papel de transformar para melhor a vida de pessoas e empresas, os dados requerem lapidação. Então entram em cena as ferramentas de big data, que colocam dados à serviço de quem quer mais eficiência, qualidade, precisão e redução de custos.

Mais cedo ou mais tarde, aqueles que ainda não entraram na era digital terão que se adequar. Em um primeiro momento, as empresas conviverão simultaneamente com processos tradicionais e digitais. O importante é que ambos estejam alinhados e já se reconheça um impacto positivo na operação, com preços menores, inclusive para os clientes.

O agronegócio é um dos segmentos que mais se beneficia com a revolução digital. Estamos falando de território, de extensões impossíveis de serem monitoradas e rastreadas sem a tecnologia dos dados.

Agrotools usando tecnologia e informação com inteligência em soluções digitais

A Agrotools, empresa B-Corp certificada e considerada a mais relevante AgTech da América Latina, foi uma das pioneiras no uso de informação para o agronegócio. Há 13 anos no mercado, a companhia criou soluções digitais para conectar os diversos players ao agro, oferecendo poderosos insights de negócios e gestão. Estas soluções estão baseadas em uma plataforma geográfica proprietária, desenvolvida exclusivamente para o segmento, com suporte de um dos maiores bancos de dados do agronegócio mundial e de uma ampla equipe multidisciplinar altamente qualificada para interpretá-los e colocá-los para trabalhar.

Na prática, as ferramentas permitem que grandes empresas compreendam tudo o que acontece com fornecedores e clientes de ambos os lados da porteira, áreas que, até o surgimento das plataformas Agrotools, não eram monitoradas com agilidade.

Graças à Agrotools, bancos e seguradoras – como os parceiros Rabobank, Fairfax, Itaú e ABC, por exemplo – conseguem digitalizar suas operações de crédito rural e seguros, conquistando monitoramento dinâmico e integrado de riscos, com coleta de dados in loco, gestão de garantias, cumprimento de regras de mercado e utilização de painéis estratégicos.

Da mesma forma, o McDonald’s firmou parceria com a Agrotools para monitorar, de forma inovadora, a procedência de suprimentos da corporação e, dessa forma, proteger seu supply chain na Argentina, Austrália, Paraguai e Brasil. Lembrando que os produtos provenientes desses países são vendidos para consumidores da rede em todo o mundo.

Com a Caramuru Alimentos, principal grupo brasileiro no processamento de soja, milho, girassol e canola, a missão da Agrotools é cuidar da reputação da companhia, já comprometida com a responsabilidade socioambiental em operações junto à sua cadeia de fornecimento e financiamento. 

O trabalho da Agrotools consiste, basicamente, em saber o DNA de determinada área rural: campos desmatados, terras indígenas e áreas embargadas, entre outros indicadores, são detectados, proporcionando segurança sobre a verdadeira origem da matéria-prima, criando um ciclo virtuoso para o desenvolvimento do agronegócio.

Se tem valor, desperta cobiça: a informação que vale ouro

Se a informação vale ouro, a garantia de blindagem sobre ela requer o mesmo peso. Uma simples falha no armazenamento de dados de uma corporação pode significar perdas irreparáveis ou até o encerramento das atividades. Portanto, o cuidado com a integridade deste “cofre” é peça fundamental na evolução dos negócios. A estratégia empregada pelas empresas para manter a segurança dos dados é tão importante quanto a capacidade de gerir e explorar esse ativo.

Ciente dessa atribuição, a Agrotools iniciou um projeto de certificação, a ISO 27001, no início de 2017, e teve como escopo definido a gestão de segurança da informação da plataforma geográfica TerraMatrix – que é responsável por hospedar todos as soluções digitais Agrotools – com o objetivo de preservar a confidencialidade, e disponibilidade dos dados por meio da aplicação de um processo meticuloso de gestão de riscos.

O ouro dos novos tempos precisa ser usado sem moderação, em prol da sustentabilidade, do crescimento de empresas e do bem-estar das pessoas, mas com responsabilidade para manter a integridade e funcionalidade deste ativo, além da confiança da sociedade nessa verdadeira guerra santa, travada em nome da tecnologia dos novos tempos.


Saiba mais sobre como as soluções digitais com base em dados e informações têm blindado empresas do campo ao varejo.

Compartilhar este post

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Anterior
Próximo

Mais para explorar