Em busca do estado da arte na sustentabilidade: FS investe em tecnologia Agrotools e monitora mais de 1,5 milhão de hectares com inteligência digital

A FS, primeira e maior produtora de etanol do Brasil que utiliza 100% do milho na fabricação dos seus produtos: etanol, ingredientes para nutrição animal (DDGS), óleo do milho e energia elétrica vem, cada vez mais, demonstrando os benefícios sustentáveis na produção de bioenergia com baixa emissão de carbono. Por isso, se tornou a primeira empresa do setor a assumir compromissos com o meio ambiente e a sociedade para o bem do agronegócio e para fazer o bem para o planeta.

Etanol, nutrição animal e bioenergia produzidos 100% a partir do milho e de modo sustentável. Mais de 1,5 milhão de hectares monitorados em todo o Brasil, totalizando 348 municípios em 19 estados. Acima de três mil territórios cadastrados e rastreados.  Matérias-primas, como eucalipto e bambu, plantadas em 40 mil hectares. Cerca de 1,6 mil fornecedores e clientes cadastrados. Esta é a realidade da FS, usina que fabrica produtos de alto valor agregado a partir do milho. 

Defensora de processos que gerem baixo impacto ao ambiente, a FS desmistifica o conceito de que a produção de biocombustível não pode ser sustentável e trabalha para protagonizar um futuro com cada vez menos emissões de carbono. Por iniciativas como essas, em 2020, a empresa recebeu o selo RenovaBio, política nacional de biocombustíveis, que tem como objetivo estabelecer metas nacionais anuais de descarbonização, de forma a incentivar a participação do etanol, biomassa, biodiesel, biogás, entre outros, na matriz energética de transportes do país.

Para o aumento da eficiência da cadeia produtiva e do controle dos dados, a FS adquiriu a ferramenta Solução Digital Safe, da Agrotools, que garante conformidade socioambiental da produção de milho e biomassa, além das vendas dos produtos de Nutrição Animal.

A SAFE também monitora se os clientes cumprem todas as obrigações legais, exigidas pela FS, para que façam parte da carteira de parceiros comerciais da empresa.

A solução também possibilita uma validação de fornecedores tanto no cadastro como na georreferencia do território de atuação. Quando identificado algum problema com fornecedor, a FS utiliza a expertise da Agrotools para a tomada de decisão. Da mesma forma, monitora os clientes de nutrição animal: todos precisam cumprir obrigações legais – incluindo as ambientais – para estarem aptos a comprar da fabricante. 

Para o CEO da FS, Rafael Abud, além do Safe, o conhecimento profundo do setor, a experiência em sustentabilidade e o apoio consultivo pesaram na escolha da Agrotools como parceira. “A parceria entre a FS e a Agrotools, com a contratação da ferramenta digital, é mais um passo para a implantação da tecnologia em benefício do agronegócio e do meio ambiente, Além disso, usufruímos de uma consultoria técnica especializada no mercado em que atua”, diz o CEO. “Por isso, podemos afirmar que a Agrotools é âncora em diversas dessas iniciativas, incluindo a Certificação da Califórnia, emissão de greenbonds e participação em financiamentos atrelados às metas de sustentabilidade.”

A vivência da Agrotools no bioma amazônico foi outro ponto crucial para estabelecer a parceria.  “Após mais de dez anos de intensos estudos e projetos na Amazônia, a Agrotools segue inovando e antecipando tendências, agora na indústria de etanol de milho”, diz Sergio Rocha, CEO da Agrotools. “Preparamos o aparato de Política, Procedimentos e Tecnologia para a FS, incluindo a originação de milho e de biomassa, e a venda de DDGs (grãos secos) para nutrição animal, com foco na diferenciação dos seus produtos e visando o reconhecimento e benefícios no âmbito dos greenbonds.”

Fazendo a diferença

Até o início das atividades da FS, em 2014, o milho era produzido na segunda safra do Mato Grosso, na sequência do plantio da soja, principal cultura de verão do estado. A produção gerava altos impactos na emissão de carbono e onerava o governo, que subsidiava os fretes dos grãos até os portos para encontrar canais de exportação.

Diante deste cenário, a FS chamou para si a responsabilidade de fazer a diferença e iniciou vários movimentos internos para valorar o milho de segunda safra. O saldo foi a alta na produtividade dentro das mesmas áreas e menos impacto de preparo do solo.

Com o aumento, veio um novo desafio: como escoar os volumes? Utilizando sua capacidade motriz e tecnológica, foi então que a FS optou pela diversificação e passou a produzir etanol de milho e outros subprodutos, como rações utilizadas em nutrição animal, balanceadas e com alta taxa energética, incentivando a prática de confinamentos e diminuindo o cultivo extensivo.

Outro diferencial da FS é a fonte de energia limpa utilizada em suas unidades fabris: diferentemente do que acontece em outros países, onde se utiliza fontes como o gás natural ou carvão, a fabricante emprega a biomassa, obtida a partir de matérias-primas como eucalipto e bambu.

“A FS está no cerrado, em São Lucas do Rio Verde (MT), com transposição para o bioma amazônico, um ambiente vulnerável. Mas provamos que, com os investimentos certos e o uso da tecnologia, é possível encontrar um modelo de negócio que esteja alinhado à menor pegada de carbono”, diz o Abud. Depois de fazer a diferença, coube à FS mostrar a novidade à cadeia do agronegócio. Uma vez criado e validado, o modelo de produção foi apresentado a outros stakeholders, como representantes do mercado financeiro, com o apelo do clean finance. O resultado foram duas imersões no mercado de capitais e uma transação bilateral com banco, sempre alinhadas às metas ESG (Governança Ambiental, Social e Corporativa) e atrelando taxas regressivas de juros. “Trata-se de um primeiro passo, mas ficou claro o alinhamento com as instituições financeiras  e o reconhecimento pelo o que está sendo feito”, diz o CEO. “Dessa forma, queremos manter nossa  retroalimentação, investindo cada vez mais em tecnologias como as da Agrotools para seguir a verdadeira vocação do agro brasileiro, produzindo cada vez mais de forma mais sustentável.”

Compartilhar este post

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Anterior
Próximo

Mais para explorar