Blog

Mudanças Climáticas: Importância e Desafios da Redução das Emissões de Carbono no Agronegócio

Máquina agrícola trabalhando em uma plantação, enquanto no céu há 3 siglas de CO2, responsável pelas mudanças climáticas

Mudanças Climáticas: Importância e Desafios da Redução das Emissões de Carbono no Agronegócio

20 de outubro de 2023

Tempo de Leitura: 6 minutos

As mudanças climáticas representam uma das maiores ameaças globais ao meio ambiente e à sociedade, como o aumento da média de temperatura e o aumento do nível do mar, por exemplo.

Entre os principais fatores que contribuem para esse fenômeno estão as emissões de gases de efeito estufa (GEE), incluindo o dióxido de carbono (CO2) e o metano (CH4). Neste contexto, toda a cadeia do agronegócio tem grande relevância nos esforços para trazer práticas mais sustentáveis, especialmente a pecuária, uma vez que tem participação significativa nessas emissões.

Nesse sentido, a seguir, vamos explorar a relação entre pecuária e mudanças climáticas, além de apresentar os desafios para controlar e mensurar as emissões de GEE. Porém, há iniciativas e tecnologias disponíveis no país que podem gerar excelentes resultados nos próximos anos. Confira!

O carbono e os gases de efeito estufa

O carbono é um elemento químico essencial para a vida na Terra, e está presente em diversas formas e em todos os organismos vivos. Os gases de efeito estufa, por sua vez, são substâncias que absorvem e emitem radiação infravermelha, contribuindo para o efeito estufa.. 

Os principais GEE são o CO2, metano (CH4), óxido nitroso (N2O) e o ozônio (O3). O CO2 é amplamente conhecido por sua relação com a queima de combustíveis fósseis e desmatamento, enquanto o metano é liberado principalmente por atividades agrícolas, incluindo a pecuária.

O aquecimento global e as mudanças climáticas

O efeito estufa é um fenômeno natural e vital para a manutenção da vida no planeta, pois mantém a temperatura média da Terra em condições propícias à nossa existência.

Contudo, a atividade humana tem exacerbado esse processo, principalmente por meio da queima de combustíveis fósseis, desmatamento crescente e práticas agrícolas inadequadas. O aumento descontrolado das emissões de GEE tem levado ao aumento das temperaturas globais, causando mudanças climáticas significativas e impactos ambientais graves.

uma série de impactos ao planeta podem ser  gerados pela intensificação do aquecimento global a curto prazo. Eventos climáticos extremos, como furacões, secas e ondas de calor ou frio tornam-se mais frequentes e intensos, colocando em risco a segurança alimentar e a biodiversidade. Sendo assim, torna-se fundamental resolver essa questão de forma urgente.

Emissões relacionadas ao agronegócio e pecuária no Brasil

No contexto brasileiro, o agronegócio desempenha um papel fundamental na economia, com quase 25% de participação no PIB. Porém, também é responsável por uma parcela significativa das emissões de GEE. A pecuária, em especial, é uma grande fonte de metano, devido à fermentação entérica dos animais ruminantes e geração de resíduos, entre outros exemplos.

Essas emissões de metano contribuem significativamente para o aquecimento global, pois o gás permanece na atmosfera por cerca de uma década antes de ser decomposto. Durante esse período, ele contribui para o aumento da retenção de calor na Terra. Ou seja, encontrar formas de diminuir esse impacto será algo fundamental para a sustentabilidade da pecuária brasileira.

Segundo dados do Observatório do Clima, as emissões de carbono provenientes da atividade agropecuária no Brasil, de forma direta e indireta, chegam a quase 73% do total do país.

Olhar mais próximo para o Escopo 3

O conceito de Escopo 3 está relacionado às emissões indiretas (não incluídas no escopo 2, relacionado à aquisição de energia) de GEE que ocorrem ao longo da cadeia de suprimentos de uma empresa. Isso inclui, por exemplo, desde a produção e transporte de insumos até o descarte do produto final. Para o setor agropecuário, o Escopo 3 se torna um desafio adicional, uma vez que pode ser necessário considerar todas as etapas envolvidas na produção e distribuição de alimentos, desde a fazenda até o consumidor final — dependendo da atividade principal da companhia.

A pecuária, nesse contexto, tem um papel relevante, pois as emissões ocorrem em diferentes estágios da cadeia, como a produção de ração animal, o transporte dos animais e a logística de distribuição de carne e derivados.

Desafios na mensuração das emissões

Dessa forma, existe um grande desafio quando falamos do Escopo 3 e das outras emissões, porque as empresas que estão inseridas no agronegócio precisam medir e reduzir as emissões em todos os estágios da cadeia. Sendo assim, o levantamento das emissões de carbono no setor agropecuário enfrenta desafios significativos.

Uma das principais questões é a utilização de ferramentas e calculadoras de emissões que foram desenvolvidas para ambientes distintos, muitas vezes inadequados para as particularidades do contexto brasileiro. Isso pode levar a estimativas imprecisas e penalizar a produção local de forma injusta, por exemplo.

Enfrentar os desafios do escopo 3 para a pecuária requer uma abordagem que envolve uma série de iniciativas mais sustentáveis, como adoção de melhores práticas de manejo, e mudanças na alimentação animal. Porém, o uso de tecnologia avançada e mais adequada à realidade brasileira é o que traz o maior potencial de impacto positivo na redução das emissões de GEE na pecuária.

Como a tecnologia da Agrotools ajudam no controle das mudanças climáticas

Para empresas que buscam se comprometer com a redução das emissões de GEE, coibir o desmatamento e adotar práticas sustentáveis, a Agrotools oferece uma série de ferramentas para melhorar o rastreamento e controle em toda a cadeia produtiva. Uma delas é a Análise Socioambiental.

Essa ferramenta tecnológica da Agrotools permite analisar de forma direta e precisa as questões relacionadas ao impacto ambiental ao longo de toda a cadeia de suprimentos., as empresas podem identificar pontos críticos, implementar melhorias e tomar decisões embasadas em dados concretos, contribuindo para a mitigação das mudanças climáticas e a promoção de um agronegócio mais sustentável.

Ao mesmo tempo, nossa solução digital de supply chain faz a gestão de toda a cadeia de suprimentos com agilidade, inteligência e eficiência. No fim, além de toda a confiabilidade dos dados de uma empresa que tem 16 anos de experiência no mercado brasileiro, o grande diferencial da Agrotools é ter soluções na medida para as necessidades dos seus clientes.

As mudanças climáticas representam um desafio urgente, que exige ação coletiva e responsabilidade compartilhada. Sendo assim, a adoção de tecnologia brasileira e com foco no controle das emissões de gases do efeito estufa (GEE) se torna fundamental para lutar contra o aquecimento global e todo o impacto negativo que ele pode gerar.

Conheça agora mesmo todas as soluções digitais da Agrotools e veja como elas ajudam as empresas que se relacionam com a agropecuária a reduzir a emissão de GEE em toda a cadeia produtiva!

Relacionados

Uma mão segura um laptop sobre uma plantação, enquanto a outra digita. Acima aparecem gráficos de análise de dados do agronegócio.

Gestão de riscos socioambientais no agronegócio: como fazer da forma correta

Manuseio de plantação, representando a agricultura de baixo carbono.

Agricultura de baixo carbono: o que é, como aplicar, desafios e oportunidades para o futuro

Campo Cerrado com vegetação ao longo do horizonte, alguns animais no pasto e uma árvore ao centro

Dia do Cerrado: os desafios para o futuro do bioma que possibilitou a revolução do agro brasileiro

Solicitar Orçamento