Blog

Gestão de riscos socioambientais no agronegócio: como fazer da forma correta

Uma mão segura um laptop sobre uma plantação, enquanto a outra digita. Acima aparecem gráficos de análise de dados do agronegócio.

Gestão de riscos socioambientais no agronegócio: como fazer da forma correta

18 de janeiro de 2024

Tempo de Leitura: 7 minutos

No contexto das mudanças climáticas e na busca por um desenvolvimento sustentável da economia brasileira, a gestão de riscos socioambientais se tornou fundamental para mitigar os impactos negativos no meio ambiente.

Atualmente, investidores e consumidores estão de olho nas decisões tomadas pelas empresas. Portanto, garantir que as suas operações estejam em linha com a agenda ESG e as melhores práticas no agronegócio torna-se fundamental para o futuro da sua companhia.

Neste artigo, veja como realizar a gestão de riscos socioambientais da forma correta e saiba como a tecnologia é o seu braço-direito neste processo. Confira!

O que são riscos socioambientais?

Os riscos socioambientais são as ameaças que as atividades econômicas podem trazer para o meio ambiente e para as comunidades locais. No agronegócio, esse é um assunto ainda mais relevante, já que é um negócio que lida diretamente com a natureza.

Existem uma série de riscos socioambientais na atividade agrícola, como:

  • Problemas com o território: riscos que envolvem diretamente a propriedade rural, como questões fundiárias, possível sobreposição de Unidade de Conservação, Terras Indígenas, Florestas Públicas etc.
  • Erosão do solo: comprometimento da fertilidade do solo com práticas inadequadas de cultivo, como a ausência de rotação de culturas. Além da queda de produtividade, isso também pode resultar em assoreamento de rios e córregos.
  • Desperdício de recursos hídricos: A irrigação é uma prática corriqueira para a agricultura, mas quando feita de forma desordenada pode levar ao esgotamento dos recursos hídricos locais, especialmente em regiões propensas à escassez de água.
  • Perda de vegetação nativa e biodiversidade: o desmatamento realizado de forma ilegal resulta em perda da vegetação nativa, que contribui para as mudanças climáticas, e em larga escala pode levar à extinção local de espécies, fragmentação e desequilíbrios nos ecossistemas.
  • Impacto social: além da parte ambiental, há também riscos sociais no agronegócio. O deslocamento de comunidades locais e a deterioração das condições de vida das populações locais são exemplos importantes.

Boas práticas socioambientais no agronegócio

No agronegócio, adotar práticas sustentáveis é fundamental para afastar os riscos socioambientais. Além da preservação do meio ambiente e do bem-estar das comunidades locais, essas ações também garantem a viabilidade econômica da produção no longo prazo.

Naturalmente, tudo começa com o compliance socioambiental. Antes de qualquer decisão dos produtores rurais, é obrigatório que eles cumpram todas as regulamentações, com respeito às áreas de terras indígenas, unidades de conservação e outras leis que visam proteger o patrimônio verde do país.

Então, os agricultores também têm participação fundamental nessa equação. Na sequência, confira as melhores práticas que podem ser implementadas para mitigar esses riscos nas fazendas.

  • Preservação e Reflorestamento: respeitar as APPs, como margens de rios e áreas de mata nativa, além do investimento na recuperação de áreas degradadas para ajudar a restaurar o ecossistema local.
  • Cuidados com o solo: plantio direto e aplicação da rotação de culturas, que além da fertilidade do solo, também reduz a propagação de pragas e doenças. Ao mesmo tempo, evitar o revolvimento excessivo do solo reduz a erosão e preserva sua qualidade.
  • Eficiência de recursos hídricos: implementar técnicas de irrigação eficientes, como gotejamento ou irrigação por pivô central, para minimizar o desperdício de água.
  • Pecuária sustentável: usar o pastoreio rotacionado, movendo o gado entre diferentes áreas de pastagem para ajudar na recuperação do solo. Também é importante garantir condições adequadas de vida para os animais, o que contribui para a produtividade e qualidade da matéria-prima.

Importância da gestão de risco socioambiental

Quando falamos de riscos socioambientais, existem dois lados importantes na história: o produtor rural e as empresas que se relacionam com o agronegócio. Para o produtor rural, adotar uma produção mais sustentável é fundamental para aumentar a eficiência das suas lavouras e garantir o crescimento no longo prazo.

Por outro lado, quando falamos das companhias, há diversos fatores que tornam o controle desses riscos uma obrigação dentro das operações. A começar pela reputação e credibilidade, já que empresas que são conhecidas pelo desenvolvimento sustentável ganham a confiança de clientes e a credibilidade no mercado.

Além disso, há a garantia de conformidade com regulamentações. Uma boa gestão de risco socioambiental evita multas e penalidades associadas a práticas inadequadas. O mesmo vale para problemas trabalhistas, que podem levar a custos legais, e até mesmo aos riscos éticos, como o trabalho escravo.

Por fim, como veremos no próximo tópico, há uma demanda por investimentos sustentáveis. Logo, quando uma empresa encontra fornecedores comprometidos com a agenda ESG, novas oportunidades de negócio surgem no mercado.

Pressão por um agro mais sustentável

Para além da ética, há também uma questão financeira quando falamos de riscos socioambientais. Pesquisas mostram que os investidores estão cada vez mais ligados na sustentabilidade das empresas.

O número de fundos de ações que se enquadram na temática sustentável cresceu 74% entre 2008 e 2022, de acordo com a Anbima. Ao mesmo tempo, um estudo da Infosys mostra que as empresas devem investir US$53 bilhões em ESG até 2025, com aumento de 51%.

O consumidor também está mais atento à pauta sustentável. Uma pesquisa da CNI, publicada em 2022, mostra que metade dos entrevistados consultam a procedência do produto antes de comprar. Esse número era de apenas 19% em 2019.

Portanto, isso indica que as companhias que se relacionam com o agro precisam investir em uma cadeia de valor sustentável, eliminando os fornecedores que não estão em compliance socioambiental. Além de afastar riscos socioambientais, isso também melhora a imagem da empresa e abre espaço para novos investimentos e parcerias.

Como a Agrotools ajuda a sua empresa a controlar os riscos socioambientais

Um dos grandes desafios na gestão dos riscos socioambientais é o monitoramento das propriedades rurais. Muitas empresas sofrem com a falta de dados confiáveis sobre o campo brasileiro. Ou sofriam.

A Agrotools, empresa com mais de 15 anos de experiência e líder no mercado de tecnologia para o agronegócio, desenvolveu uma análise socioambiental específica para eliminar a burocracia e conferir agilidade ao processo de verificação das propriedades rurais.

A ferramenta faz um extenso cruzamento de dados dos territórios rurais e das informações dos produtores para identificar se eles estão em compliance socioambiental, em respeito a áreas desmatadas, unidades de conservação, terras indígenas e todas as legislações existentes para garantir um desenvolvimento sustentável da economia nacional.

Uma série de setores podem usar nossas soluções para impulsionar seus negócios, como bancos e seguradoras, que fazem o compliance dos órgãos reguladores, além do monitoramento das carteiras de crédito e seguro rural. Ou mesmo frigoríficos, que ficam em conformidade com a legislação vigente e abrem novas oportunidades de negócio no Brasil e no exterior.

Portanto, com a Agrotools, a sua empresa é capaz de fazer uma gestão de riscos socioambientais com mais velocidade e customização.

Clique aqui e conheça nossa solução digital para análise socioambiental e veja como a Agrotools pode ajudar a sua empresa a garantir o compliance com os critérios ESG e aumentar o valor da sua marca!

Relacionados

Manuseio de plantação, representando a agricultura de baixo carbono.

Agricultura de baixo carbono: o que é, como aplicar, desafios e oportunidades para o futuro

Máquina agrícola trabalhando em uma plantação, enquanto no céu há 3 siglas de CO2, responsável pelas mudanças climáticas

Mudanças Climáticas: Importância e Desafios da Redução das Emissões de Carbono no Agronegócio

Campo Cerrado com vegetação ao longo do horizonte, alguns animais no pasto e uma árvore ao centro

Dia do Cerrado: os desafios para o futuro do bioma que possibilitou a revolução do agro brasileiro

Solicitar Orçamento