Blog

Financiamento rural além do Plano Safra: oportunidades e desafios

Financiamento rural além do Plano Safra: oportunidades e desafios

Principal instrumento para o repasse de recursos públicos ao financiamento rural, o Plano Safra 2021-2022 foi liberado, no mês de junho, pelo Governo Federal, injetando bilhões no setor Agro nos próximos meses.

No entanto, se a sua instituição financeira não faz parte do grupo de parceiros governamentais para a concessão de crédito rural, não há problema. Neste artigo, vamos explicar como funciona o Plano Safra deste ciclo, as taxas de juros do Pronaf e Pronamp, quais são as linhas de crédito disponíveis e como vencer os desafios a fim de aproveitar as oportunidades do mercado de financiamento agrário para além do programa de repasse público. Confira.

O Plano Safra e a concessão de crédito rural

Desde 2003, o Plano Safra é o programa do Governo Federal responsável pela destinação de recursos públicos para financiar as atividades agrícolas de pequenos, médios e grandes produtores do país.

Por meio do programa, produtores rurais podem solicitar às instituições financeiras parceiras crédito para ações de custeio, investimento e comercialização de suas safras. Para o período 2021-2022, o Governo Federal liberou R$ 251,22 bilhões ― R$14,9 bilhões a mais que o Plano Safra anterior, um incremento de 6,3%  ―, valor distribuído entre os 12 bancos parceiros do plano. Os financiamentos podem ser realizados até 30 de junho de 2022.

Houve, ainda, a subvenção de R$1 bilhão para os prêmios do seguro rural. Com esse montante, será possível a contratação de 158,5 mil apólices que garantirão a cobertura de 10,7 milhões de hectares e um montante segurado de R$55,4 bilhões. Já para apoio à comercialização, foi destinado R$ 1,04 bilhão.

De acordo com a ministra da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, Teresa Cristina, esse plano reforça a mensagem do Governo Federal de apoiar cada vez mais a agricultura familiar, bem como reforçar o desenvolvimento sustentável do setor agro.

Por esse motivo, o Plano Safra 2021-2022 adotou o lema “Cada vez mais verde”, e programas voltados à agricultura de baixo carbono, produção de energia renovável, bioinsumos, agricultura irrigada e práticas conservacionistas dos recursos naturais receberam aportes recordes, demonstrando haver solo fértil para valorização dos princípios ESG e as finanças verdes.

Como funciona o Plano Safra

As linhas de crédito do Plano Safra são atreladas a uma série de subprogramas de financiamento rural, contemplados especialmente dentro do Programa Nacional de Fortalecimento da Agricultura Familiar (Pronaf), Programa Nacional de Apoio ao Médio Produtor Rural (Pronamp) e linhas para demais produtores.

Há 3 formas de se fazer uma leitura da distribuição dos montantes voltados ao crédito rural (R$ 251,22 bilhões), no Plano Safra 21-22. Confira, abaixo.

Beneficiários

O recursos do Plano Safra atendem aos seguintes perfis de produtores, e são distribuídos da seguinte maneira:

  • beneficiários do Pronaf (pequenos produtores): R$39,3 bilhões;
  • beneficiários do Pronamp (médios produtores): R$34 bilhões;
  • Demais produtores (grandes produtores): R$177,9 bilhões.

Finalidade

Sob a ótica da finalidade ― objetivo da utilização dos recursos  ―, o crédito rural pode ser visto da seguinte forma:

  • Custeio e comercialização: R$177,78 bilhões;
  • Investimentos: R$73,4 bilhões.

Classificação dos juros

Aqui, diz respeito a quais valores terão taxas de juros controladas pelo Governo Federal e quais terão taxas livres de mercado. Sendo assim:

  • taxas controladas: R$165,2 bilhões, dos quais R$ 91 bilhões foram equalizados  com recursos do Tesouro Nacional, no valor de R$13 bilhões;
  • taxas livres: R$86 bilhões.

Qual a taxa de juros do Pronaf e Pronamp

Mesmo com o aporte de R$13 bilhões em recursos do Governo Federal para equalização dos juros, houve um reajuste de 10% nas taxas do Plano Safra 2021-2022.

Os juros do Pronaf, que reúne os pequenos produtores, variam entre 3% ao ano, para a produção de alimentos, e 4% a 4,5%  ao ano, para os demais produtos. Já o Pronamp, onde estão enquadrados os médios produtores, tem taxas anuais para custeio pré-fixadas em 5,5%; para investimento, os juros ficam em 6,5%.

Os valores acima são mais baixos que os praticados para os grandes produtores, cujos contratos de financiamento para custeio têm juros de 7,5% ao ano; para o investimento em máquinas, esse percentual sobe para 8,5%. Contratos via cooperativas, crédito industrial e capital de giro, por sua vez, têm taxas de 8% ao ano. Por fim, há juros que variam entre 5,5% e 7,5% ao ano para os chamados “Investimentos Prioritários” em agricultura sustentável.

As principais linhas de crédito: entenda como funciona o Plano Safra

Agora, você vai conhecer as linhas de crédito e saber melhor como funciona o Plano Safra. Para ficar mais simples de entender como acontece essa distribuição, eles foram separados por categorias. Confira.

Crédito de Custeio

As linhas de crédito a seguir são voltadas para produtores que pretendem fazer investimentos como aquisição de animais para engorda, sementes e insumos necessários para o dia a dia do setor, bem como arcar com despesas relativas ao processo produtivo. São eles:

Pronaf Custeio

É a linha de crédito rural para despesas relacionadas à agricultura familiar, agropecuárias ou não, em uma unidade de produção familiar rural. Para entrar no programa, a renda bruta da família não pode ter ultrapassado R$500 mil nos últimos 12 meses. O tamanho da propriedade não pode ser superior a quatro módulos fiscais de área.

Pronamp Custeio

É destinado a financiar as atividades rurais do médio produtor. A renda bruta do requerente não pode ultrapassar R$2,4 milhões anuais. Vale lembrar que, neste caso, o limite de crédito e os juros são mais elevados que os do Pronaf.

Pronaf Agroindústria Custeio

Destina-se a pessoas físicas, empreendimentos familiares e cooperativas. O objetivo é financiar o beneficiamento e industrialização da produção, a armazenagem e comercialização do produto final. Também, possibilita adiantamentos por venda e investimentos na conservação de produtos para venda em momentos mais favoráveis, além da aquisição de insumos agropecuários pela cooperativa.

Demais produtores

Produtores com renda bruta superior a R$2,4 milhões não se enquadram no Pronaf e Pronamp, mas podem contratar o financiamento rural para despesas normais da atividade agropecuária pagando os juros mais altos, de até 7,5% ao ano.

Crédito de Investimento

O crédito de investimento é destinado à modernização das propriedades rurais, obras de irrigação e compra de novos veículos. Os prazos de pagamento podem se estender por até 10 anos,  além de período de carência. As modalidades são:

Pronaf Agroindústria Industrialização

Esta modalidade tem o objetivo de financiar a industrialização da produção, além da formação de estoque e serviços de apoio à comercialização ― atividades que agreguem renda à produção. Assim como na modalidade custeio, também é possível receber adiantamentos pelas vendas, além de obter capital de giro e adquirir insumos agropecuários por meio de cooperativa.

Pronaf Jovem

O Pronaf Jovem é destinado a beneficiários entre 16 e 29 anos, que estejam empreendendo em atividades agrícolas (produção, armazenagem e transporte). Para participar, é preciso ter estudado em escola técnica agrícola ou se inscrever em uma Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural (Emater) em seu estado. Uma das grandes vantagens é a carência de 3 a 5 anos para início do pagamento.

Pronaf Investimento (Mais Alimentos) e Pronaf Mulher

Modalidades voltadas a pequenos produtores, oferece financiamento para melhorias na propriedade rural. Entre os beneficiamentos estão: florestamento, recuperação do solo, aquisição de equipamentos e veículos, formação de lavouras, implantação de eletrificação e serviços de telefonia, construção de armazéns e silos, entre outros.

Destaque para a modalidade Pronaf Mulher, que visa atender às necessidades das produtoras, especialmente de baixa renda ou renda limitada a R$23 mil/ano.

Pronaf B

É uma modalidade de microcrédito para produtores com renda familiar bruta de até 23 mil no último ano. Os contratos são limitados ao teto de R$6 mil, com taxas de apenas 0,5% ao ano ― inferiores às de como funciona o Plano Safra. O prazo para quitação é de 2 anos.

Pronaf Agroecologia

Destina-se aos agricultores individuais ou cooperativas que desejem assumir um modelo de produção ecológico ou, até mesmo orgânico. Logo, os financiamentos englobam todos os custos necessários à implantação ou manutenção desse empreendimento; há a exigência de assistência técnica a todo projeto financiado.

Pronaf Bioeconomia

Destinado a pessoas físicas que desejem investir em tecnologias de energia renovável (como energia solar ou eólica), armazenamento hídrico, aproveitamento hidroenergético, tratamento de efluentes, adoção de práticas conservacionistas (como recuperação do solo), a fim de melhorar a sustentabilidade de sua produção.

Crédito de Investimento ― demais linhas

Diferentemente dos investimentos anteriores, os seguintes programas de crédito contemplam valores mais robustos. Podem ser contratados tanto por produtores individuais quanto grupos. As modalidades são:

Programa de Incentivo à Inovação Tecnológica na Produção Agropecuária (Inovagro)

Tem o objetivo de financiar sistemas de agricultura digital, renovação de maquinário e frota, automação, pesquisa genética, energia alternativa, entre outros. Os contratos que podem chegar até R$3,9 milhões, com 3 anos de carência e 10 anos para pagar.

Programa de Modernização da Frota de Tratores Agrícolas e Implementos Associados e Colheitadeiras (Moderfrota)

Sem limite de valores para o financiamento, a Moderfrota é uma linha destinada à renovação de maquinário agrícola. Inclui, tratores, colheitadeiras, máquinas para pulverização e adubagem, equipamentos e insumos para a criação animal etc. Podem contratar produtores agrícolas e cooperativas.

Programa de Financiamento à Agricultura Irrigada e ao Cultivo Protegido (Proirriga)

O objetivo é melhorar a infraestrutura da propriedade rural de produtores individuais e coletivos. Para isso, são contemplados projetos de irrigação sustentável, recuperação de equipamentos ou instalações de proteção a cultivos específicos, como é o caso de cafeicultura e floricultura.

Programa para Construção de Armazéns (PCA)

Programa de financiamento destinado à reforma e construção de armazéns. O objetivo é dar segurança à produção de grãos, hortaliças, frutas, tubérculos, entre outros.

Programa de Desenvolvimento Cooperativo para Agregação de Valor à Produção Agropecuária (Prodecoop)

Programa voltado à competitividade das cooperativas, oferece financiamento para a modernização de complexos agroindustriais, dos sistemas produtivos e de comercialização agrícola. São contempladas cooperativas dos setores agropecuário, agroindustrial, aquícola ou pesqueiro.

Programa de Capitalização de Cooperativas Agropecuárias (Procap-Agro)

Linha de crédito dedicada especificamente a gerar capital de giro para cooperativas, garantindo mais saúde financeira às organizações para fecharem as contas no positivo.

Pronamp Investimento

Programa destinado a produtores rurais ― proprietários, arrendatários, posseiros ou parceiros ― que tenham renda acima das faixas determinadas pelo Plano Safra. Essa alternativa de crédito financia atividades rurais diversas, desde benfeitorias e ampliações até ações de sustentabilidade.

Os desafios de oferecer financiamento para o campo

Apesar do aumento de 6,3% no valor liberado pelo Governo Federal, em comparação com o período 20-21, a maneira como funciona o Plano Safra em 2021-2022 ainda não atende a toda a demanda do setor Agro, fortemente dependente de financiamento para o custeio de sua operação.

E no cenário atual, com o boom das commodities e a alta do dólar, produtores que não querem perder a chance de aproveitar o bom momento, têm recorrido ainda mais à solicitação de crédito: conjuntura ideal para bancos e cooperativas que atuam na oferta de financiamento rural.

Mesmo em um cenário favorável, com alta demanda, a concessão de crédito agrícola lida com desafios diários, que podem tornar as operações caras, lentas e arriscadas.

A rotina em muitas das financeiras que atuam no setor agro é preenchida por problemas como:

As dificuldades encontradas para ter acesso a dados e fazer o monitoramento da carteira de clientes aumenta os riscos das operações e tira transparência dos processos, o que afasta produtores e pode levar instituições a perderem boas oportunidades de negócio.

As oportunidades do boom do agro para quem fornece crédito agrícola

Apesar dos muitos desafios, o cenário atual, com demanda por aumento de produção, apresenta para quem financia o agro ótimas oportunidades, com produtores e empresas do campo precisando de capital para custear, expandir e comercializar sua produção.

E para não perder essas oportunidades, bancos e cooperativas de crédito precisam estar atentos às tendências, em busca de recursos que otimizem sua operação, para tornar seus processos mais ágeis, transparentes e seguros para a própria instituição, mas também para quem pede crédito.

O papel da tecnologia no aperfeiçoamento da concessão de financiamento rural

Para quem deseja se destacar da concorrência na concessão de crédito — inclusive das instituições parceiras do Plano Safra —, investir em tecnologia é a escolha certa. Com os recursos de uma solução digital como o Credit, é possível garantir acesso a dados e verificar todos os critérios que devem ser analisados na oferta de financiamento agrícola.

A solução da Agrotools desenvolvida para facilitar a rotina das instituições financeiras que atuam no mercado agro digitaliza todos os processos de validação, análise e monitoramento das operações de concessão de crédito para o campo. Oferecendo vantagens como:

  • mais qualidade na coleta de evidências de campo;
  • valoração de garantias de forma 100% remota;
  • gestão ativa da carteira de clientes;
  • aumento no número de vendas de crédito;
  • análises ESG feitas em apenas alguns segundos;
  • blindagem e valorização da marca.

 


Quer saber como a Agrotools pode aumentar a eficiência das suas operações de financiamento do agronegócio?

A Agrotools possui mais de 15 anos de experiência e nossas soluções são utilizadas com sucesso pelos principais players do mercado. Tenha visão completa das operações e riscos envolvidos, para tornar sua operação mais ágil, segura e lucrativa. Conheça nossas soluções para Financiamento do agronegócio e gerencie melhor sua carteira de clientes com todas as análises que você precisa ao alcance de um clique!

Quero saber mais

Relacionados

atividades financiadas pelo crédito rural

Quais são as atividades financiadas pelo crédito rural?

Crédito rural: como reduzir a insegurança gerada pela escassez de informações no campo

Agfintechs agregam inovações financeiras para o setor agro

Agfintechs agregam inovações financeiras para o setor agro

Solicitar Orçamento