Blog

As empresas e o ODS que visa a erradicação da pobreza

ODS 1: Erradicação da pobreza: tecnologias aplicadas

As empresas e o ODS que visa a erradicação da pobreza

11 de agosto de 2022

Tempo de Leitura: 7 minutos

A erradicação da pobreza faz parte dos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS) definidos pelas Nações Unidas. Desta forma, as empresas devem se somar aos esforços mundiais visando eliminar a miséria em todas as suas formas. Ações de responsabilidade social em suas várias dimensões — bem como inovações tecnológicas — que contribuam nessa direção trazem percepção positiva junto à sociedade, fortalecem o engajamento dos colaboradores e demais stakeholders, além de estarem alinhadas às estratégias de branding (construção e gestão de marcas).

Metrificar e reportar iniciativas em linha com a agenda ESG se tornou exigência do mercado para empresas que se relacionam com territórios rurais, comprando ou vendendo direta ou indiretamente, bem como instituições financeiras que atuam com crédito rural ou seguro. Tais esforços são reportados no documento chamado Relatório Anual de Sustentabilidade (RAS).

Primeira AgTech certificada com pelo Sistema B no Brasil, a Agrotools integra um um grupo de mais de 4 mil organizações em 50 países que buscam o equilíbrio entre propósito e rentabilidade. Isso promove uma economia onde o sucesso seja medido pelo bem-estar das pessoas, das sociedades e da natureza.

Neste artigo, exploraremos algumas das maneiras pelas quais a tecnologia pode ser aliada para combater a pobreza e promover a inclusão social e econômica. E como tudo isso se relaciona com o setor agro, que está na linha de frente na geração de oportunidades e garantia de segurança alimentar.Nova call to action

ODS 1: Erradicação da pobreza em todas as suas formas e em todos os lugares

Empresas de diversos segmentos que se relacionam com o agro vêm desenvolvendo continuamente melhorias visando promover o respeito aos direitos humanos em toda cadeia de valor, construindo locais de trabalho diversos e inclusivos e investindo para alcançar a prosperidade compartilhada nas comunidades.

Nesse sentido, o ODS 1 é importante, pois a pobreza extrema afeta diretamente outros Objetivos de Desenvolvimento Sustentável. Sem abordar a pobreza, fica difícil alcançar as metas para a educação, saúde, igualdade de gênero, entre outras. Um dos indicadores mais conhecidos, desenvolvido pelo Banco Mundial, é o da linha da pobreza. Pelos critérios, são considerados extremamente pobres os indivíduos que dispõem de menos de US$ 1,90 por dia.

A pobreza é caracterizada pela falta de recursos, oportunidades e serviços básicos, bem como pela exclusão social de pessoas em situação de vulnerabilidade. Estima-se que mais de 700 milhões de pessoas, ou 10% da população mundial, ainda vivem em extrema pobreza hoje, lutando para atender às necessidades mais básicas, como segurança alimentar, saúde, educação e acesso à água e saneamento.

Em 2015, as Nações Unidas estabeleceram uma meta para acabar com a pobreza até 2030 com seus Objetivos de Desenvolvimento Sustentável. Esse objetivo, conhecido como ODS 1, é um empreendimento maciço que exigirá o esforço conjunto de governos, empresas, ONGs e cidadãos comuns.

A tecnologia desempenha um papel crucial na luta contra a pobreza

Na prática, as tecnologias digitais estão sendo cada vez mais utilizadas para melhorar o acesso a renda, segurança alimentar e serviços básicos como educação e saúde. Uma maneira pela qual a tecnologia pode ser usada para combater a pobreza e alcançar as metas definidas pelo ODS 1 é através da tecnologia aplicada ao planejamento agrícola. Ela ajuda os trabalhadores ao longo das cadeias produtivas a terem melhores condições de vida em diversos aspectos. Ferramentas como sistemas de informação meteorológica, que ajudam os agricultores a tomar melhores decisões sobre quando plantar e colher suas colheitas. Além de aumentar a produtividade, reduzir o desperdício de alimentos e ajudar na venda de produtos.

A tecnologia também contribui para reduzir o impacto das mudanças climáticas que ampliam a pobreza. Por exemplo, ela pode ajudar os agricultores a se adaptarem às condições climáticas mais adversas, como secas ou inundações.

Finalmente, a tecnologia também pode ajudar a criar empregos e promover o crescimento econômico. Em muitos países em desenvolvimento, não há empregos suficientes para todos. Com o uso da tecnologia, podem ser criados novos negócios que oferecem oportunidades de emprego.

Nova call to action

A Agrotools também faz sua parte para contribuir

Somando-se aos esforços globais de erradicar a pobreza extrema, a Agrotools desenvolve soluções de tecnologia que beneficiam operações que se relacionam com territórios rurais. Nós impulsionamos o agronegócio e seus principais atores da cadeia produtiva, que movimentam a economia em prol da sustentabilidade e inclusão.

O aplicativo móvel da Agrotools, GIX, por exemplo, permite a customização de questionários e relatórios, sendo um instrumento poderoso para ações de relacionamento com a comunidade, utilizado com sucesso na coleta presencial de dados que fundamentam diversas iniciativas que podem apoiar o combate à pobreza. 

No combate ao desmatamento e incêndios florestais, o geomonitoramento remoto de territórios realizado pela Agrotools aplica uma gama de tecnologias para que atividades produtivas e a conservação existam harmoniosamente, em especial quando falamos de biomas sensíveis como Amazônia e Pantanal.

O combate ao trabalho escravo, que afeta gravemente os direitos básicos de homens, mulheres e crianças pobres e vulneráveis, também precisa ser monitorado constantemente, gerando visibilidade e exaurindo o financiamento de players que atuam dessa forma. A API de Trabalho Análogo ao Escravo da Agrotools possibilita a empresas que compram de territórios rurais cumprir o que está estabelecido na NR-13 ao longo de suas cadeias de fornecimento. 

Em outra frente, a Agrotools oferece inteligência de dados para instituições financeiras que atuam com o seguro rural, uma proteção indispensável para garantir a continuidade de atividades produtivas, com catástrofes naturais cada vez mais frequentes, assegurando estabilidade financeira, ajuda a prevenir e identificar sinistros e amortece sobressaltos nos preços de commodities agrícolas. 

Como uma empresa de tecnologia voltada para o agronegócio, está no nosso dia a dia e monitorar áreas de desmatamento, unidades de conservação, condições justas de trabalho no campo, terras indígenas, áreas embargadas e outros critérios socioambientais que fazem toda a diferença para que o agronegócio seja sócio-ambientalmente positivo para quem depende dele, fornece para ele ou até mesmo, o fomenta. De inúmeras formas, contribuímos nos esforços para erradicação da pobreza e valorização do ser humano, preservando os recursos naturais.

Conheça nossas soluções digitais e saiba como sua empresa pode elevar o patamar de inteligência de dados garantindo melhores resultados ao longo de toda a operação.


Tecnologia sob medida para

sua necessidade e orçamento

Na Agrotools você encontra planos flexíveis para aquisição de ferramentas Saas prontas para uso ou APIs fáceis de integrar no seu próprio sistema. Em poucos cliques, faça análises e monitoramentos de territórios 100% digital. Reduza riscos e custos nas operações e garanta mais agilidade à sua equipe.

 IR PARA A LOJA

Relacionados

Uma mão segura um laptop sobre uma plantação, enquanto a outra digita. Acima aparecem gráficos de análise de dados do agronegócio.

Gestão de riscos socioambientais no agronegócio: como fazer da forma correta

Manuseio de plantação, representando a agricultura de baixo carbono.

Agricultura de baixo carbono: o que é, como aplicar, desafios e oportunidades para o futuro

Máquina agrícola trabalhando em uma plantação, enquanto no céu há 3 siglas de CO2, responsável pelas mudanças climáticas

Mudanças Climáticas: Importância e Desafios da Redução das Emissões de Carbono no Agronegócio

Solicitar Orçamento